Páginas

sábado, 30 de maio de 2015

NOVOS TEMPOS

Estamos finalizando o mês de Maio, o frio começando a visitar nossas vestes, afligindo nossa tez ao sairmos pelas ruas de Porto Alegre. Foi um mês de vitória, diria, com documentações entregues tempestivamente, com a alegria de estar cada vez mais em consonância com os prazeres que a vida proporciona. Este mês, foi melhor que o outro: reencontrei-me com amigos queridos, realinhei meus posicionamentos na seara jurídica; estou no caminho certo. ================================================================================================================ Deflagrei-me com dois acontecimentos muito peculiares, mas de fácil constatação: a falta de amor pelo outro. Sim, amigos, duas pessoas que considero muito findaram seus relacionamentos neste mês. Podia até pensarmos em fatalidade, em quem sabe até um mero tempo para realinhar as coordenadas do romance; mas não foi assim que ocorrera. Dois casos em que, por força das amizades avessas ao namoro, os casais se corromperam; não souberam lutar com as diferenças. Normalmente o cenário é assim: a menina, quer sair, em festas... O rapaz, em casa. Aí a moça encontra as amigas que estao sempre saindo e comecam a pensar duas vezes se preferem namorado a festas. O desespero mental toma conta e, nao muito incomum, elas preferem a balada. Pasmem! Trocar um namoro sadio por festinhas, várias festinhas... Sinceramente, não entendo porque mulher gosta tanto de ir a festas. Talvez, porque elas querem dançar, mas nao pode botar um som alto e dançar em casa? HAHAHAH Quem sabe até porque querem ver gente. Que assim seja: peguem um ônibus lotado às 18h e sejam felizes!!! Não defendo a monotonia de um relacionamento: defendo fazer coisas novas, mas saudáveis ao casal, que não implique inveja nem cobiça. Defendo passeios longos, muitas risadas, idas ao parque sem hora para voltar; um bom chimarrão... Almejo um novo relacionamento, que não termine num clique de um celular.

segunda-feira, 25 de maio de 2015

happy ending

Eu poderia estar "casado" de novo. De repente, até, alugando ap com outro guria. Eu poderia também estar roubando, sendo gogoboy, ator pornô( é, nao, podia nao) ahhaha.... Eu poderia ligar para o passado, resgatar os destroços de um coração fragilizado. Poderia ressucitar os mortos, em oração ( Quem dera se pudesse). A questão é muito simples: poder, a gente pode tudo, basta querer. Mas a volição ás vezes nao acompanha nossos impulsos. Aí vem a razão, aaah, a razão, o que freia nossos ímpetos mais incrementados, cheio de fantasias e desejos escondidos. Já dizia DiFerrero, "entre razões e emoções a saída é fazer valer a pena". E vem, subjetivamente, uma outra pergunta: o que vale a pena? Dando voltas no mundo, pergunto aos senhores(as): o que é felicidade? Gostei um dia, vendo uma palestra belíssima do professsor de filosofia da USP, Clóvis de Barros Filho, felicidade é aquele átimo de segundo que a gente não quer que termine. Faço uma leitura de sua frase: aquela conversa tão boa, mas tão boa com seu amigo(a), que voces fazem a lua chegar rapidamente, quando outrora o sol reinava na janela de seu quarto; aquele beijo que voce dá que simplesmente o mundo para e apenas o outro é a tua importância naquele momento, se sentindo completo(a) por inteiro(a). AHHH... como é bom estar sentindo felicidade. O quão bom seria estar feliz, agindo conscientemente, sem prejudicar outrem, atrelando o bom senso da razão, com a beleza da emoçao... Pergunto-me do por que estar escrevendo essas coisas hoje, 25.05.2015, às 22h36 min... Acho que foi porque nesse exato momento entreguei uma parte de um trabalho feito com muito carinho, passando madrugadas entre goles de café: finalizei meu TCC. Sim, queridos, minha graduacao está quase no fim e sinto-me preparado intelectualmente para enfrentar as lides incontroversas que a vida dos humanos me propõe. Talvez dissertar sobre felicidade me acalme; quero afirmar com unhas e dentes que ninguém é feliz todos os dias, mas quando fazemos algo que sabemos que está bom, atingimos esse ideal momentÂneamente. Um brinde aos loucos, a mim e ao sucesso! Que assim seja, em nome de Jesus Cristo, nosso senhor. Amém. :)

lol

So 03 months that I didn't write this blogspot . I 'm feeling stronger than months ago . I still remember my pass . Our memory is definitely very crazy, u know! We don't forget the good times .; We don't forget the bad as well. But I'm better. I'm ... very studious , hopeful promising day : at work, in love( in a deep insight), in life to its fullest. I want , in a few months , set new goals in my long legal career . I wrote today in English because ... i don't know.... hahaha. I want. tHANKS for reading this text. bye folowers. I hope u like it.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

FRAGMENTOS DE UM AMOR

Era tarde da noite quando ele resolveu "catar" o facebook de sua "ex- namorada". Fazia uns 15 dias q ele não falava mais com ela, até porque a moça que um dia o queria para toda vida estava diferente e distante. Olhando página dali, página daqui, percebeu que a menina havia adicionado um monte de gente diferente, inclusive uma senhora que estava com um rapaz do lado. O garoto, de pronto, começou a formar o quebra-cabeça. No perfil desta senhora, viu fotos de sua ex com outro - seu filho-, na praia. Nesse exato momento, seu coração parou; as mãos gelaram e a fome, sumiu. Nem havia jantado. Dormiu de jejum. Foi uma facada em seu âmago. O amor do rapaz estava nos braços de um outro alguém. Sintiu-se traído, ainda que não estivesse mais presente na vida daquela jovem. A dor da perda ecoou pelos demais horas. O menino ficou extremamente brabo, raivoso. Queria A vingança. Potencial ele tinha, mas o coração era bom. Morava com sua irmã e, na realidade, tinha uma visão melhor das mulheres, carentes por excelência. Desligou-se do mundo quando quase era dia. Noutra manhã, o jovem acordara mal. Demorou a comer, eis que a garganta não queria nada. Coitado, estava sedento por um amor corrompido pelo tempo. A tarde e a noite permaneceram na mesma: o rapaz triste, tentando dar a volta por cima pela razão, mas sua emoção estava nitidamente abalada. Demorou um pouco mais que o normal para dormir. Cada revirada era um pensamento do tipo "nossa, depois de tanto tempo com alguém, terei de viver só". Para completar o episódio daquele dia, sonhou com sua ex. Na realidade, era um pesadelo: estava no sonho, junto com o rapaz que estava na foto com sua ex namorada; os três sentados no sofá. A moça no colo, deitada, as coxas do suposto novo namorado e o menino vendo tudo. O trauma foi grande. Saiu daquela sala às pressas, com um ódio mortal. A irmã do mesmo também encontrava-se no sonho e alertou o irmão: mano, "aquele lá é viado. Nao tenhas ciume"! Não entendendo mais nada, simplesmente o sonho acabou. Ele havia acordado. Sua irmã ali estara, mas sua dama, nunca mais.